santaritavicosa.com

História da Paróquia​

No auge do Ciclo do Ouro, a região dos garimpos gerou a fartura financeira com as riquezas das Gerais. Tinha-se o dinheiro, porém o mercado não estava abastecido. Tal situação deu origem à expansão das fazendas; época em que a colonização alcançou as verdes matas batizadas como Santa Rita do Turvo, filiada à Freguesia de São Manoel do Pomba.

Sinais de fé e devoção também faziam parte da bagagem das caravanas. Foi no lombo dos animais cargueiros, escalando morros e descortinando encostas, atravessando rios, vales e montanhas que a devoção a Santa Rita de Cássia veio aportar-se nestas paragens. Alojou-se na alma do povo e veio transpondo as colinas e vales da História destes séculos em que SANTA RITA DE CÁSSIA tornou-se a mais consolidada referência na expressão de fé desta urbe universitária.

Com a presença dos imigrantes, estabeleceu-se um espaço litúrgico, onde o povo se reunia para o preceito dominical, as novenas e para entoar os cantares do Senhor numa época austera e poética ao mesmo tempo. A Ermida de Santa Rita de Cássia constitui-se na atual Igreja dos Passos. É o mais antigo templo da cidade e está conservada no mesmo local onde existiu o primitivo, erguido no princípio do século XIX. A pequena igreja feita de pau-a-pique, conforme registros históricos, passou por diversas reconstruções. A escritura do imóvel data de 20 de agosto de 1807, pelo Cura Marcelino Rodrigues Ferreira no Presídio de São João Batista, atual Visconde do Rio Branco. Em seu entorno, iniciou-se o povoamento que originou a atual Viçosa.

O tempo passou e a excelsa e venerável Padroeira ganhou um novo templo que de maior exigiu ainda mais beleza e formosura, indo de Igreja Matriz a Santuário. Em 31 de agosto de 1833, foi erigida canonicamente a Paróquia Santa Rita de Cássia, com a posse canônica de seu primeiro Pároco, Padre José Bonifácio Souza Barradas, que permaneceu no cargo até o ano de 1837.

Conforme registro em seu Livro de Tombo, o Santuário conserva nos anais de sua história a data memorável de 23 de maio de 1961: Dedicação da Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia. De fato, foi o segundo templo a ser dedicado na Arquidiocese de Mariana. Antes mesmo da própria Catedral da Sé em Mariana.

Padre Paulo Dionê Quintão

Pároco de Santa Rita de Cássia em Viçosa – MG